terça-feira, fevereiro 27, 2007

Ser um galago é tramado... há sempre uma lança por perto

Esta simpática criaturinha é um galago, da espécie Galago senegalensis. Trata-se de um pequeno primata noctívago, que durante o dia dorme em buracos nos troncos das árvores. Estes animais foram notícia nos últimos dias, mas não por razões que possam agradar a um galago. É que outros seres interessam-se pelos buracos onde os galagos dormitam, seres esses animados por impulsos sinistros. Essas outras criaturas são movidas pelo apetite por carne de galago e para a conseguirem vão para além da simples utilização de ferramentas, esses seres (não humanos) fabricam armas. [... ler mais]

Tudo é explicado num artigo de Jill Pruetz e Paco Bertolani publicado na revista Current Biology (ref1). Numa tradução livre do resumo:

Embora se saiba que o uso de ferramentas ocorre em espécies que vão dos ratos toupeiros nus às corujas, os chimpanzés são os utilizadores de ferramentas mais bem sucedidos. A modificação e o uso de ferramentas durante a caça nos primatas é, contudo, ainda considerado um traço único dos humanos.

Agora já sabem onde encontrei as referências para os ratos toupeiros e corujas buraqueiras. Os chimpanzés usam ferramentas para caçarem térmitas (cupins) mas aquilo que os autores descrevem vai mais além.
Relatamos aqui a primeira descrição de uso habitual de ferramentas durante caça de vertebrados por não humanos. Na localidade de Fongoli no Senegal, observámos dez chimpanzés diferentes a usarem ferramentas pra caçarem presas prossímias em 22 surtidas. Estes incluem chimpanzés imaturos e fêmeas, membros de classes etárias e sexos que normalmente não se caracterizam por comportamento habitual de caça.

Os chimpanzés caçam e comem outros mamíferos, mas em geral são os machos adultos que participam nas caçadas. Para lá do inusitado de ver fêmeas e jovens a caçar, o mais extraordinário é a forma como o fazem.
Os chimpanzés fizeram 26 ferramentas diferentes, e fomos capazes de recuperar e analisar 12 delas. A construção das ferramentas envolvia até cinco passos, incluindo desbastar a extremidade para fazer uma ponta. As ferramentas eram utilizadas da mesma forma que uma lança, em vez de uma sonda ou uma ferramenta para assustar.

Eis aqui alguns fotogramas de um filme que acompanha o artigo onde se vê uma fêmea adolescente, chamada Tumbo pelos investigadores, a extrair a sua lança e a inspecioná-la em seguida, talvez procurando traços de sangue. Trata-se de última de três investidas.

Após esta última investida a fêmea desata aos saltos até partir o ramo e finalmente extrair um pobre galago da sua toca. Os autores não mostram imagens do retirar do gálago, mas indicam que o galago não mostrava qualquer tipo de movimento, o que os leva a assumir que estava já morto ou gravemente ferido. Daí a frase no resumo sobre o facto da ferramenta ser usada como lança e não apenas como sonda.

Uma lança pode ter vários usos, que vão desde o dardo (arremesso), a sonda e a espeto. Neste caso a ferramenta parece ser claramente usada como espeto. O fantástico é a forma deliberada como a ferramenta é modificada: os chimpanzés não só removem as folhas e raminhos laterais como aguçam a extremidade.

A lança na imagem tem cerca de 70 centímetros de comprimento e a ponta é claramente afiada. Os autores terminam o resumo com algumas considerações interessantes:
Esta nova informação sobre o uso de ferramentas em chimpanzés tem implicações importantes para a evolução do uso e fabrico de ferramentas para a caça nos primeiros hominídeos, especialmente as nossas observações de que as fêmeas e os chimpanzés imaturos exibem este comportamento de forma mais frequente que os machos adultos.

Depois de tanta lengalenga das minhas amigas feministas sobre o carácter bélico do homens na sua vertente masculina, será que afinal as armas são uma invenção das mulheres?

Claro que o que esta história mostra principalmente é que é tramado ser um galago quando há chimpanzés por perto. Que o diga o pobre infeliz que aparece nas imagens algo macabras da Tumbo a alimentar-se que resultam da caçada que mostrei acima.

Voltarei aos chimpanzés nos próximos dias, pois há mais novidades interessantes, sobre as ferramentas e também sobre o quão longíquo é o seu parentesco com os seres humanos.

Referências
(ref1) Jill D. Pruetz,and Paco Bertolani (2007). Savanna Chimpanzees, Pan troglodytes verus, Hunt with Tools. Current Biology. Laço DOI.

1 comentários:

João Carlos disse...

Os artigos sobre a fabricação de ferramentas pelos chimpanzés (e, pior, as fêmeas!...) já me tinham chamado a atenção.

Das espécies "ferramenteiras" citadas, os chimpanzés parecem ser os mais prontos a desenvolver um polegar preensil. Daí à posição ereta é um pequeno salto evolucionário...

(Eu fico cá me perguntando - sempre me lembrando da Washoe - como seria a "religião" dos chimpanzés... Afinal, eu uso um como "avatar" e dei um monte de palpites no "Roda de Ciência" sobre o assunto.)