quinta-feira, outubro 04, 2007

Perder um nome em Portugal

Esta é uma ilustração do dinossauro Baryonyx walkeri, um tipo de dinossauro terópode algo bizarro, cujos restos podem ser encontrados em várias regiões do que é agora a Europa. Descobriu-se recentemente que o género Baryonyx existiria também em Portugal. O problema é que os fósseis que se sabem ser agora de Baryonyx, dentes e fragmentos de mandíbulas, já tinham nome, tinham sido atribuídos a uma criatura baptizada como Suchosaurus girardi, que se julgava ser um crocodilo. Ora esse nome tem precedência e neste momento pode vir a ocorrer uma pequena revolução na taxonomia de todos os espinossaurídeos. O Baryonyx pode ter perdido o nome em Portugal. [... ler mais]

A identificação dos restos atribuídos ao género Baryonyx é feita num artigo de Eric Buffetaut na revista Geological Magazine (ref1). Numa tradução livre do resumo:

Redescrevem-se fragmentos de mandíbulas com dentes do Barremiano de Boca do Chapim (Lisboa e Setúbal, Portugal), originalmente considerados como crocodilianos e identificados como Suchosaurus girardi por Sauvage, que são referidos ao dinossauro espinossaurídeo Baryonyx, com base na comparação com Baryonyx walkeri, do Barremiano de Inglaterra. Isto estende a distribuição geográfica, deste género de terópode pouco usual, a Portugal. O Baryonyx parece ter sido um componente das jazidas de dinossauros do Cretácico Inicial da região Ibérica, que pode ter formado uma zona de passagem biogeográfica para a dispersão dos baryonychine entre a Europa e a África.

Ora qual é o problema com a taxonomia? É que uma criatura designada por Suchosaurus cultridens, na verdade não uma criatura mas um dente gasto, foi descrita antes de existir a designação Baryonyx. As regras de nomenclatura taxonómica em geral consideram a prioridade histórica, logo o género Suchosaurus tem prioridade sobre o género Baryonyx, o que significa que o género Baryonyx poderá passar a Suchosaurus. Isso acarretaria mudanças ainda mais profundas na classificação do grupo a que pertencem estes animais, os espinossaurídeos pois o Suchosaurus também ultrapassa em antiguidade o Spinosaurus. Este tipo de imbróglios é relativamente comum em descrições que não se basearam em espécimes articulados, mas sim em fragmentos do esqueleto ou dentes. Um outro exemplo famoso é o do Stenonychosaurus, cujos dentes se mostrou depois já terem sido atribuídos anteriormente a uma criatura baptizada Troodon.

Não há ainda certezas quanto ao que vai acontecer, há uma comissão que vai decidir a esse respeito, mas não me admiraria que o Baryonyx fosse afundado como sinónimo de Suchosaurus e desaparecesse da literatura futura.

Ficha técnica
Imagem de Baryonyx (?) cortesia de Arthur Weasley via Wikimedia Commons.

Referências
(ref1) Eric Buffetaut (2007). The spinosaurid dinosaur Baryonyx (Saurischia, Theropoda) in the Early Cretaceous of Portugal. Geological Magazine, Cambridge University Press.

2 comentários:

Joao Simoes Lopes Filho disse...

Talvez o Baryonyx walkeri possa "sobreviver" como uma espécie indepedente, Suchosaurus walkeri, ou pelo menos como uma subespécie Suchosaurus girardi walkeri.

Caio de Gaia disse...

Em princípio a espécie poderá bem ser distinta. O problema continuaria a subsistir na taxonomia dos nodos acima:

Spinosauridae=Suchosauridae, Baryonychinae=Suchosaurinae

Talvez até o género possa sobreviver. Eric Buffetaut pensa que o Suchosaurus girardi mostra diferenças em relação ao S. cultridens que justificam a inclusão em géneros distintos. Aí Baryonychinae poderia continuar mas continuaríamos a ter
Spinosauridae=Suchosauridae.